quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A MÍSTICA TRANSPARÊNCIA DE "GUMA"


Meus queridos amigos, depois de receber a alegre e gratificante visita da nossa querida amiga Rosa, a qual aproveito a oportinidade para agradecer toda sua receptividade e carinho, assim como todos amigos que aqui vieram prestigiar a querida poeta e amiga Rosa Maria do blog Rosa Solidão.
(foto:Guma)

O nosso convidado da vez é um poeta, também muito querido por muitos.
Um poeta que inspira e transpira a poesia e a arte em várias formas.
Uma alma que se encanta no dom de cantar e encantar com sua arte e sua forte ligação
com uma terra e seu povo, Angola... Mamãe África...

Pronto, entreguei o ouro! Claro que só poderia ser o nosso amigo "GUMA" ou ainda "GUMA KIMBANDA" como é conhecido aqui por todos nós.

Mas quem será este "Poertista"?? O poeta artista, com uma aura mística, que com suas palavras rebuscadas de dialetos de várias regiões da Angola imprime seu carinho em "kandandos" a todos seus "Kambas"??!!

"Guma, gostaria de te dizer que é um prazer muito grande recebê-lo nesta sala de chá e poesia, seja muito bem vindo!

Bem, eu não sei e acho que muitos não sabem o teu nome, quer começar me falando teu nome?
Guma: Podes me tratar por Guma, pois é com a alma dele que me expresso. meu outro eu é Humberto Rafael.

Rosana: Guma, teu blog sempre me chamou atenção pela originalidade, começando pelos nomes (teu e do blog!). Em pesquisa, constatei que SERRA DA LEBA, é uma montanha em Angola. As palavras "diferentes" que usas, soam como algum dialeto... estou certa? Percebi também nas tuas belíssimas obras de arte, traços que mostram a tua forte ligação com a cultura e o povo africano. Qual a tua relação com a Angola?


Guma: Exactamente, a Serra da Leba está numa região montanhosa que de certa forma separa a Huíla/Lubango e o Namibe. A primeira é uma zona verdejante e a última é o deserto que faz fronteira com a Namíbia. Estas duas zonas de Angola estão ligadas por uma grande obra de engenharia, uma estrada serpenteando a serra e prestando uma vista que alcança muitos kms a partir dos seus cerca de 2000 metros de altitude. Majestosa e imponente ela é meu miradouro, um local de culto e de meditação, uma referência importante na minha vida. Um pouco, como se lá em cima mais perto esteja do céu que mais ao longe no horizonte, beija meu mar!
A cidade da Huíla antiga Sá da Bandeira, foi a primeira cidade onde morei, quando fui para Angola saído de Portugal com 9 anos de idade. Pois embora não seja filho daquela terra, sinto-a como minha, pois foi lá que me fui fazendo gente.
Como tive a oportunidade de residir, estudar e trabalhar em várias zonas de Angola, utilizo algumas palavras que rebusquei dos dialectos de lá, outras palavras são o que se pode chamar calão, para além das que se (re)inventam como faz e muito bem um dos meus escritores preferidos, Mia Couto (Moçambicano). No blog em termos fixos uso por exemplo:
Nos comentários - (X) Mujimbos. Mujimbos: Como quem diz - "o que dizem por aí " ou "boatos que circulam"
Cambas ou Kambas: "amigos"
Mambos do Guma ou (Malambas): "as coisas do guma"
Kandandos ou Kandandus. "abraços"
Nos textos que publico uso outros termos que tento, mas por vezes me esqueço de fazer uma "chamada" para a tradução.
como Calemas = "mar revolto". Gosto dos termos e os utilizo no meu dia a dia, estou tatuado deles, fizeram parte do meu crescimento.
A minha ligação com Angola dificilmente se explica, é algo dos sentidos, mas tem origem nas coisas mais simples que me impregnaram pela sua grandiosidade e, quem venha a conhecer aquele país, jamais esquecerá como aconteceu comigo.
Começando pelo encanto das gentes, não me refiro aos que se ocidentalizaram, mas sim da cultura e tradições riquíssimas que povo expressa pelo humanismo, sua espiritualidade e até pelo respeito e equilíbrio como vivem em harmonia com a natureza. Porque o clima é tropical e tenho saudade de estar na praia com um calor imenso e águas mornas e límpidas e chovendo a rodos refrescando um pouco o ambiente. Porque o cheiro a terra vermelha molhada pelas chuvas seja diferente das demais. Talvez porque os cheiros sejam tão importantes no meu dia a dia.
Com aquele povo aprendi que importante não é o que se tem, mas sim como dividi-lo com equidade. Na essência o Ubunto em todos nós.
O meu relacionamento com o povo era feito a partir das caminhadas a corta mato em direcção à serra, sempre que havia disponibilidade para tal exploração, passando pelas sanzalas e privilegiando o contacto directo com os nativos. Muitos não falavam português e eu não falava seu dialecto, mas quem precisa de falar para se fazer entender?
Gente que sabe receber e cuidar apesar das suas parcas possibilidades. Nessa caminhadas feitas em peregrinação à Srª. do Monte, curiosos me chamavam para confraternizar e traziam água (ovava) fresca em moringues (jarros de barro) e ofereciam pirão (papa grossa de farinha de milho) e peixe ou carne seca, sem talheres rapava-mos à mão da panela comunitária e depois sentava-mos à roda da fogueira, me mostravam suas artes, muita mímica pelo meio e obtínhamos de parte a parte alguns progressos com as palavras a cada visita de passagem.
Do artesanato que na altura se fazia e do saturado estudo de um levantamento feito pelo grande etnólogo José Redinha, que catalogou a expressão plástica das diversas etnias daquela terra, a influência de alguns dos meus trabalhos.
Muito haveria por contar sobre os anos que lá vivi e o que me liga aquela terra, mas a selar essa ligação com Angola estão as duas filhas mais velhas que lá nasceram.
E não poderia deixar de realçar o que representa a música e a criatividade com que a faziam (fazem), aproveitando todo o tipo de objectos e os transformando em ritmos que não dá para ficar imune, só tem mesmo é que gingar.

no vídeo acima que não é muito representativo, pois o instrumento musical se chama kissange e deveria ter como caixa de ressonância, uma cabaça, mas dá a ideia de como se pode ter um instrumento e dar música à alma, ou alma à música.

Rosana: Guma, não é muito difícil perceber a aura um tanto misteriosa em torno do artista!
Quem é o Guma Kimbanda?
Guma: O Guma é uma alma que se encanta, divaga e delira. O Guma é o menino índigo que faz o elo entre o céu e o mar.
tudo o resto só outrem poderá definir, não tenho como me descrever. Tentei no meu perfil fazê-lo, sou olhos nos olhos a transparência da alma, e como não filtro a minha postura no que digo, escrevo ou pinto, espero no mínimo que assim me aceitem como sou, diferente dos demais.
Talvez o Guma seja a fusão de várias vivências ao sabor de um tam-tam de minha África, a minha espiritualidade se manifestando.
De misterioso só tenho, o que ao olhar de quem me quer bem, consegue ver. Se depois de me conhecerem melhor, continuarem a sentir esse mistério, então é porque há mais um "eu" entre os outros que em mim habitam. Mais um que se expressa através de mim.

Rosana: Como a poesia surgiu na tua vida?
Guma: Desde garoto vem o gosto pela escrita e pelas artes. O romantismo acompanhou os passos que dava em meu jardim e as idéias que me surgiam para a prosa, acabavam rimando em ingénuos poemas que dedicava a uma ou outra menina por quem me encantava, por uma árvore frondosa, ou por um fruto delicioso.
Meu pai, para além de artista plástico, tinha a produção de um programa radiofónico bem humorado, no Rádio Clube de Benguela (Angola) e começou a aproveitar meus versos e poemas, assim como a minha pessoa (nessa altura com 11 anos de idade), para um personagem desse programa, que à boa maneira antiga era um romântico desmesurado e a figura amiga de um casal, a quem moía a paciência declamando suas obras.
Olho para trás e me parece que toda a minha vida escrevi poesia livre. Essa plantação acontece normalmente em fases de vida mais doridas.
Enquanto a prosa, salvo raras excepções é humorada e em divagação nos momentos em que meu estado de espírito está bem mais tranquilo.

Rosana: Guma, qual a importância, que papel ocupa em tua vida, a poesia e as artes plásticas?
Guma: Uma e outra, são a forma de minha sustentação, meu equilíbrio. Alimento da alma e a melhor das terapias.
Como tal, é tão importante para mim como respirar. Como no começo de cada dia olhar lá para cima e dizer Obrigaaaaaado! em voz alta e braços abertos acolhendo o que vier. Quem assim me ensinou, me disse para não esperar nenhuma resposta falada, nem meu eco.
Tinha razão em me dizer que mesmo assim, jamais deveria deixar de o repetir vigorosamente a cada acordar.
Na minha vida, a arte em todas as suas formas de expressão, é vida a acontecer, reflexos da sensibilidade para além do prisma de cada um em termos estéticos, e lhe quererem ou não, chamar de arte.

Rosana: O que mais te inspira?
Guma: Esta pergunta tem várias respostas.
Mas tentarei ser conciso dizendo que é O AMOR.
Partindo do principio que a cada gesto meu, sinto a necessidade de o revestir de amor, tudo fluí e atrai as melhores energias.
Cedo aprendi, que tudo o que fazemos sem amor e dedicação, dilui-se sem conteúdo e dificilmente vinga.
Amor e Natureza, a fusão existe à nascença, mas aos poucos há quem as distancie, o que é pena.

Rosana: Percebí que és um artista com várias facetas, ou seja, tens vários dons nas artes; dentro desta diversidade de talentos, qual mais te fascina, te preenche como artista e por que tanta variedade?
Guma: Todas as formas de arte são um regalo para meus olhos, mesmo aquelas que não domino como é natural.
De todas as que pratico, pois não sou um artista, apenas um artesão das manualidades, a escrita é a que me toma mais atenção, não porque goste mais do que as outras, mas por me ser a mais acessível.
Adoro meter as mão no barro, embora nem sempre reúna condições para o fazer.
Pintar com tintas acrílicas abriu-me um novo horizonte por causa dos tempos de secagem e técnicas e improvisos que se podem explorar, mas uma tela para mim, é algo que inicio muitas vezes sem uma ideia pré concebida e que a cada fase vou contemplando, horas, dias e se vai recreando ao ponto de o início nada ter a ver com o produto final. Enquanto uma tela não sai de minha mão, não a considero completamente acabada. Muito se poderia filosofar acerca.
Trabalhar o couro, decorando-o por pirogravação e relevos, é outro mundo que gosto de explorar e do qual já subsisti durante largos anos.
Considero que não tenho uma inclinação maior para uma das vertentes, tudo depende da disposição e das condições que se me prestam na altura.

Rosana: Guma, na tua opinião qual o papel da poesia e das artes em geral nos dias de hoje onde tanto se fala e tanto se anseia a paz de uma Nova Era?
Guma: Muito se fala e pouco se faz por essa Nova Era e assim escrevo não desmerecendo de forma alguma, tantos valores intrínsecos, que felizmente com as novas tecnologias, vão podendo dar voz e contributo para tão ansiada Era. Mas este mundo terreno, vive demais no imediatismo das concretizações.
Creio que assim como os afluentes vão aumentando aos poucos o caudal dos rios, esse trabalho de amor e humanismo, vai-se multiplicando, gerando patamares de espiritualidade que são um maravilhoso contributo para a mudança das mentalidades.
Como em algum lado escrevi, não alcanço as estrelas, mas não é por isso que me deixo de encantar por elas. Tenho esperança, mas o traquejo que a vida me deu, diz-me que as mudanças são sempre muito lentas e por ventura, ainda bem, para que tenham consistência.

Rosana: Tens alguma obra editada? Algum projeto em andamento?
Guma: Tenho uma edição de autor, a que chamo "caixa de poemas" por ser realmente uma caixa em cartolina, artesanalmente por mim construída e impressa com uma pintura retirada duma tela de minha colecção particular.
O conteúdo, é poema a poema em folha solta impressa em papel reciclado. Cada peça que é de edição limitada, é numerada, assinada e com dedicatória.
Por agora foram editadas no número igual às filhas que tenho, os melhores pedaços de mim.
De seguida e logo que me seja permitido pelo pouco tempo que tenho disponível, colocarei à disposição no blog para quem queira partilhar meus poemas tendo na mão folha a folha, setenta e muitos retalhos de mim, alguns inéditos e que provavelmente não serão publicados no blog.
Do mesmo modo está em projecto a edição num mesmo formato completamente artesanal, uma "caixa de contos"
De ressalvar que não tenho a intenção de publicar por editora, muito menos generalizar a distribuição.
Tão somente chegar, a quem faça gosto em ter meus poemas e contos num formato que não seja a tela dum computador.
Se dar ao toque e saber que folha a folha fui eu que imprimi... que as minhas mãos manusearam aquela folha que têm em suas mãos, com carinho, e nelas imprimi um pouco de minha alma.

Rosana: Bem, mas além do poeta e artista, também tem o "Guma comentarista"!! Muito bom por sinal!! Fale um pouco sobre isso!
Guma: Começo por explicar, que nunca fiz uma postagem e logo de seguida ir para a "ronda" aos seguidores / leitores/ amigos, para conseguir retorno em meu blog, pelo que manifestamente aprecio quem me comenta, porque tenha gosto em me ler para além do manifesto e justo interesse em ter retorno.
Assim sendo, faço gosto nessas visitas aos amigos, quando consigo tempo de qualidade para ler, entender quando possível e então me manifestar através de comentário. Muitas são as vezes que leio e na emoção me faltam as palavras para a descrever. também não me corto de fazer a minha critica e gosto que na base da sinceridade me critiquem também. Ninguém é perfeito!
Quando leio publicações de amigos, ou os seus comentários, atribuiu a cada um, a voz que não lhes conheço, da mesma forma tento comentar como se na presença do amigo pudesse estar à conversa, dissecando o seu texto ou poema. E tudo fica mais simples, transparente e amistoso.

Bem, chegou a hora de tomar o nosso chá!

O Guma me contou que é muito "chazeiro" rsrs Gosta de quase todos os tipos de chás, mas que tem uma predileção por chá de frutos vermelhos...

Enquanto eu e o Guma tomamos este delicioso chá, vocês saboreiam a poesia do nosso querido
amigo Guma!

DIZ-ME

diz.me
ao que sabe um beijo
ainda que na minha surdez
o perceba como uma pálida ideia

diz.me
ao que sabe um abraço
ainda que não mo dês

diz.me
como dar-te a mão
e na minha cegueira
poder caminhar

...diz.me...
para que servem as asas
se no teu céu não puder voar

(de) amarras

Há um sono profundo
na hibernação dum corpo
que se reclama mais fundo
que o dique da barragem mental.
O espírito indomável
plana além do estático e amorfo,
segue para lá do branco manto
e se liberta do sufoco.
As amarras, meras estacas
balizam enormes o que é material.
Por isso, viajo em ti, pensamento,
no nós que desapartas,
no não palpável,
no irracional.


Imagem: Guma

Não tenho dono
num céu que é teu,
não tem outro.
Humildemente, plano nele
contra o vento, como se fosse meu.
Umas vezes feliz, outras amorfo.

Vejo-me entardecer.
diluir-me no tempo
dando asas ao pensamento
que receio não acontecer.

A Lua brilha em pranto
e tinge meus cabelos
que anseiam tuas mãos veludo
e me perder em sonhos
que possa vivê-los.

Estou assim
ora no céu planando
ora esbarrando
nas pedras de um rio
onde a neve derretida
estanca o caudal da vida
num fino, frágil e gélido fio.

hoje... sinto-me assim!

Hoje... sinto-me assim:
Roubo a solidão,
só para mim!
Momentos meus...
e de quem sonho,
momentos são.
Se ma tiram...
que será feito de mim?
Quando os que preciso dizem que ficam...
mas realmente... já lá não estão!

Guma Kimbanda

Convido a todos a conhecerem um pouco mais da poesia
e da arte deste "poertista" maravilhoso que na simplicidade
e pureza de sua alma canta e encanta a vida de forma única e
beleza singular.



Guma, te confesso que foi uma momento muito especial e te agradeço o carinho
e receptividade para esta partilha!

*Deixo um mimo para ti e para os que aqui vierem prestigiar o querido amigo! *


Selo oferecido pelo blog Almas Azuis
Sala de Chá e Poesia.

"Kandando do Amigo Guma"
Blog Serra da Leba

19 comentários:

Mara disse...

Boa noite, Rosana querida!
Estou perplexa e encantada com tudo o que li por aqui.
GUMA kIMBANDA, não esquecerei esse nome.
Fui até o Blog de seu amigo, gostei muito.
Tudo muito lindo...

...
...diz.me...
para que servem as asas
se no teu céu não puder voar

Parabéns ao Guma e a ti, Rosana pela homenagem.Pude saborear juntamente com vocês o "Chá" e tão belos poemas.
Um abraço carinhoso a voc~es dois.
Beijo,
Mara

Sonhadora disse...

Minha querida

Não podia estar em melhor companhia...o Guma é uma pessoa muito especial, um amigo muito querido e com a sensibilidade à flor da pele.
Gostei de conhecer mais um pouco dele e adorei...ele sabe que o admiro muito.
Deixo um beijinho para ti minha querida Rozana e para o Guma.

Sonhadora

Victor Gil disse...

Querida RO.

Em primeiro lugar quero manifestar o meu apreço por este espaço, onde já tive o privilégio de tomar um chazinho reconfortante. Sem dúvida alguma este espaço é um encontro de várias correntes e ideias, diferentes formas de estar e escrever. A Rosana, faz realmente uma coisa que poucos fazem: juntar os amigos, música e poesia, chá e conversas, várias maneiras de ver as palavras e as coisas. Aqui conhecemos sempre mais um pouco os amigos que apenas sabemos o nome, a prosa e por vezes o seu sítio. E cada vez mais são importantes estes espaços de convívio (mesmo que virtual), para a solidificação de uma amizade colectiva e de solidariedade humana que se quer para uma maior humanização mundial.
E agora se me permitem, aproveito para vender o meu peixe. Eu sei que este não é o local próprio. Mas afinal não viemos só para beber o chá. Viemos também para trocar ideias, satisfazer curiosidades, apertar mais os laços que já nos unem, mas que nunca é demais solidificar. Eu também tenho assim um espaço onde junto os amigos que fazem fotografia, com os meus poemas, chama-se: Pedra dos Encontros. Mas o sítio dos encontros é uma pedra rsrsrsrsrsrs…, no meio de um campo, onde as estações do ano ditam as cores. Às vezes florida, outras vezes acastanhada, outra cheia de fria neve. E não tenho o dom de fazer um chá tão charmoso como o da Rosana, que ao contrário da minha pedra, tem este salão de chá, que é acolhedor, tem calor humano, é cheiroso, tem carinho afecto e ternura. Mas eu sou suspeito quando falo na Rosana, porque é uma querida que conheço para mais de 3 ou 4 anos (nunca me lembro, desculpa rsrsrsrsrsrs….) e por quem tenho muito carinho.
Mas aquilo que nos trouxe aqui foi um convite para tomar chá com o Guma. E quem é o Guma? Conheci ele através dos comentários que sempre faz nos blogues da Rosana. Isso me levou a visitar o seu espaço e tornar-me seu seguidor. A pintura, a escultura, a fotografia, mas sobretudo a poesia, me agradaram bastante. É daquelas pessoas cujo misticismo nos impulsiona a tentar descobrir algo mais sobre a sua pessoa. As palavras africanas que emprega em determinados escrito e ditos, são uma tentação para a nossa curiosidade. E isso, o fez a Rosana com a mestria jornalística digna de um “Pulitzer” administrado pela academia de blogueiros amadores (esta inventei agora no momento rsrsrsrsrs….). Rosana, com a sua feminina subtileza, conseguiu o convite, a entrevista e com ela ficamos a conhecer mais este nosso companheiro de aventura nas lides poéticas e internautas, que recebemos com os braços abertos, num abraço solidário.
Bem, agora que já tomámos o chá, vamos sair antes nos obriguem a lavar a loiça rsrsrsrsrsrs…. Desculpa, não resisti a uma piada, mas sabes bem que eu sou mesmo assim, não é por mal. Sabes bem que te adoro muito.
Rosana. O meu beijo e o meu carinho de sempre.
Guma. Um kandandos e a minha amizade.

FlorAlpina disse...

Olá,
Rosana, bonita homenagem/entrevista ao meu querido amigo! Tenho, tive o privilégio de já o conhecer pessoalmente! O Kimbanda é muito muito mais que o que diz/escreve pinta ou transmite! É daquelas pessoas que o olhar tranquiliza e as palavras acalmam e ensinam! O tempo voa quando se está perto de um grande Homem assim como o Rafael, porque não existem momentos mortos na sua presença, e os breves momentos de silêncio dizem mais que muitas conversas que se gritam! Obrigado! Para ambos bjs dos Alpes

Livinha disse...

Parabéns Rosana pela magnífica explanação dedicada ao grande amigo e irmão Guma.
Pessoa de sensibilidade impar, grande coração, que com sabedoria por intensa intimidade com a natureza, bem traduz o que vai na alma no seu jeito terno e sem igual...
Tal e qual se confirma na palavra dita em tua entrevista: "Quem precisa de falas pra se fazer entender"...
Olhos nos olhos na leitura do que espõe almas que se comunicam de forma a se dizer sobrenatural, ao que transpõe no universo, o além que tão bem conclui nas suas mais diversas divagações...
O que aqui foi lido nada é de causar espanto, Kimbanda não voa, se não precisa, quando tem um guma a fazer as suas vezes, na sua forma rarefeita de tão bela propagação interior...

Sempre encantada com o teu trabalho Rosana, assim tbém quando dedicado a nossa grande amiga Rosa.

Parabéns mais uma vez

Abraços e feliz semana

Bjs

Livinha

RosanAzul disse...

Querida Mara, que bom que gostou e teve a oportunidade de conhecer este ser especial! Agradeço o carinho da visita e comentário! Um beijo azul! Rosana

RosanAzul disse...

Verdade querida Rosa, o nosso amigo é muito querido e uma bela companhia, sem dúvida! Mais um momento especial como foi contigo Rosa! Meu carinho, Rosana

RosanAzul disse...

Gil, meu querido amigo, que bom que também pudestes conhecer o Guma Kimbanda! Ele tem fotos lindas mesmo e sei bem que vai aproveitar em teu blog! Vendeu bem o peixe! hehehe
Acredito que as amizades que fazemos por aqui é algo de muito valioso.
Agradeço teu carinho de sempre!
Agradeço tbem o hiper, mega, comentário!! hehe Palavras "bem ditas"!!

acácia rubra disse...

Kibanda mostrou-se aqui como se vê a si próprio.

Mas quem conhece o Guma sabe que nele há mais que transparência e mística.

É por isso que, pelas textos e comentários, pintura e sensibilidade, nos chega com a palavra certa, os traços e as cores quentes, a sensibilidade única que aconchega e que ele tão bem transforma em estrelas.

Gosto muito do Guma.

Parabéns por este post.

Beijo

Guma Kimbanda disse...

Querida amiga Ro!

Como é meu costume dizer, aos amigos não se agradece a atenção que nos dispensam, retribui-se com o mesmo carinho.
Assim, com a mesma ternura que recebo e me sensibiliza, estou deixando o meu kandando para ti e para todos os leitores e amigos desta Sala de Visitas, perfumada pelo chá de tão querida anfitriã.

Muito me honrou o convite e é um prazer estar à vossa companhia.

Inté já

rosa-branca disse...

Olá amiga, adorei demais este amigo Guma a pontos de não resistir e fui ao seu blog. Parabéns pela excelente escolha, não podia ser melhor. Adorei. Beijos com carinho

Anônimo disse...

KImbanda só poderia ser um ARTISTA, em várias direcções, se não o fosse seria em tudo o que nos transmite, um pouco pobre e limitado de conteúdo! Felizmente tem espaço e tempo para se dedicar ao que ama e eu tenho o prazer, o orgulho de privar directamente com ele, além de muito muito mais, não fosse ele meu pai, ihihih. Txamu meu Kimbanda papys, obrigado Rosana Souza pelas tuas palavras. Beijos e boas prosas. E.P.

Antônio Lídio Gomes disse...

Minha querida amiga, obrigado pela visita e gentil comentário.
O blog está lindo e charmoso.
Não conhecia o poeta, mas oportunamente estarei vistando-o.
Por ora deixo um fraterno abraço e um beijo.

armalu,blogspot.com disse...

Boa Noite Rosana! obrigado pela visita, adorei: Mas adorei também encontrar aqui o Kimbanda, ele é uma força da natureza e é verdade quem pisa e ama aquela terra como nós nada pode voltar a ser igual. Lindo o vosso trabalho adorei. Beijo

RosanAzul disse...

Meus sinceros agradecimentos a todos que aqui vieram prestigiar nosso amigo Guma e pra ele meu especial agradecimento também! Muito obrigada Guma! Meu carinho!
Paz e luz!
Rosana

O Profeta disse...

Senti nos pés o pulsar da ilha
Um farol avisa o longe do perto
A lava encoberta na costa dormente
Sete rumos e apenas um certo

Neste Mar senti a vontade de prantear
A nudez da noite no encontro do silêncio total
Encobriu meu pranto das estrelas
Uma zombeteira Lua marcou no dia o encontro final

Mágico beijo

Ana Tapadas disse...

descobri Guma há algum tempo e gosto muito do que escreve. É de grande originalidade.

bjs

Maria Luisa Adães disse...

Lindo! Obrigada por escrever

Estou doente e daí a ausência.

Agradeço sua presença

Mª. L.

Lídia disse...

ROSSANA!!!
PASSEI E FIQUEI PARA APRECIAR BEM ESTE ESPAÇO!!!

MUITO INTERESSANTE E DIFERENTE QUE MUITO GOSTEI!!!

VOU SEGUIR!!!
SE TIVER OPORTUNIDADE, PODE VISITAR OS MEUS ESPAÇOS... QUE SÃO MUITO PESSOAIS, MUITO EU!!!

1 BEIJO LÍDIA