segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

LIBERDADE DE AMAR




Uma brisa suave, fresca e saudosa,
em manhã cintilante de verão,
de janeiro aquarelado pelas chuvas,
na janela da minha esperança,
desperto com os olhos de criança,
admirando o sorriso encantador
que, serenamente me fitava.
Seria um pássaro em essência luminosa?
O homem alado* dos meus sonhos,
que sobrevoa o céu
do meu pensar incandenscente,
que atravessa mares e oceanos?
Ou seria apenas sombras fosforescentes,
dormentes miragens de meu despertar?
Lembranças melodiosas e vivas,
embaladas pelos meus sonhos noturnos,
acalanto a serenar minh´alma.

Eis então, que nesta calma tu me encontras.
Liames em que me pressentes,
nessas furtivas lembranças vaporosas,
debruçadas na janela da casa dos meus sonhos.
Lembranças evocadas no silêncio,
do teu canto de alegria.
Realçando a cor da nostalgia
em tuas asas adejantes e amoRosas.

Neste meu pensar, transbordante de emoção,
estamos sempre muito além do imaginário,
entre a bruma e a espuma a flutuar,
no colo da lua menina,
a pulsar o coração,
aonde dormem nossos momentos
em mística cifrada e velada
que ao nosso céu se descortina
na parte que, em nós habita,
os conhecimentos e mistérios do espírito,
sabedoria dos tempos em nós introjetada,
com alguns intervalos ainda adormecidos...

Somos felizes nos nossos sonhos de anil
Ainda que deslize o pranto da saudade
abotoada pela distância,
navegando neste mar do esquecer de nós.
Vivemos assim, um no outro esquecidos.
E então, juntos somos um,
na imensidão do universo,
que nos concebe e nos recebe
nos braços da Deusa Mãe.
Sem nunca nos proibir ou cobrar nada.
Sem limites, e portais.
Pois o universo tem suas próprias leis,
e em nós está impresso.
Os limites somos nós que colocamos.
Pobres limitações mortais...
Que desconhecem a real e total
ilimitação e capacidade de um ser...
E, ainda que em poeira cósmica,
Separados deste plano,
Estaremos juntos, aqui e além.
Porque entre o céu e a terra,
Não hã limites pra sonhar,
Tão pouco para amar...

Florianópolis, 19 de janeiro de 2009

Rosana de Souza
RosanAzul
®



Ao meu amor eternizado...
Um Anjo Azul* ...
Passado, presente ou futuro?
minha e tão somente é a conjugação...
sabendo ainda que, tudo é eterno,
dentro da real intensidade e verdade
em que foi, é e sempre será vivido.

Um comentário:

Vania Staggemeier disse...

olá menina! vim te visitar!
BELISSIMO POEMA...
A MAGIA DO AMOR ESTÁ NA LIBERDADE DE SE SABER E SER..
PERFEITO TODA FELICIDADE!

Bjssss e um magico fim de semana!