terça-feira, 28 de outubro de 2008

APESAR DO AMOR




hoje, apesar do amor,

o mundo esbofeteou a face da vida

com a mão espalmada da morte...

apesar do amor, uma ferida imensa

rasgou o coração de muitas almas...

apesar do amor, sofri a dor vazia

do desalento olhando para o nada...

hoje, apesar do amor, faltou coragem

para seguir na trilha...

na viagem, apesar do amor,

as estalagens do caminho

não hospedaram meu cansaço

e a sensação de impotência,

de fracasso,

acompanhou minha jornada

em todo dia.

apesar do amor,

primeiro o sol cinzento,

depois o céu sem estrelas,

pontuaram as horas arrastadas

de um tempo acorrentado na agonia...

apesar do amor,

permaneceu a lágrima

repetindo-se e escorrendo

uma tristeza igual

em muitos rostos...

apesar do amor,

a energia dissipou-se

e pouco agiu

no coração enfermo.

apesar do amor,

vomitei incerteza

e mendigando a mim,

não vali vintém...

e mesmo assim

continuei me crendo,

pois havia o amor,

apesar de tudo...

apesar de tudo,

ainda havia alguém...

HUGO LEAL

Um comentário:

Calebe disse...

Parabéns pelo seu trabalho!!! Realmente "inspiratore"!!!

Successo sempre!! Bacio