domingo, 22 de junho de 2008

MANDALA




Sonhos entregues
À roda da vida.
Que rodava,
Que girava.
Sonhos ilusórios
Faziam girar a roda
Da minha vida.
Onde tudo terminava no começo
E tudo começava no fim.
Círculo cíclico e vicioso.

Trava-se então
Uma batalha geométrica
De formas e cores.
Levanta-se uma estrela,
Guia.
Ponto central.
Farol,
Iluminando a roda
Que agora gira
Dando sentido
A nova vida,
Que roda
O sonho vivo e real
Da Mandala da minha vida!

RosanAzul

Joinville, 21 de junho de 2008

Um comentário:

Maria Luiza disse...

Não te conhecia ate procurar uma poesia que falasse de mandalas, pois faço um trabalho artesanal e elas são umas das peças que adoro fazer, fiz meu blog e para não ficar "seco", em cada peça escrevo alguma coisa, como não tenho o dom da palavra busco de quem tem... adorei a tua "MANDALA" e tomei a liberdade de usá-la, colocando os devidos creditos, óbvio...Se quizeres me visitar e ver como ficou mais linda a minha mandala com teu poema é so acessar: http://maluluz.blig.ig.com.br/
obrigada, tudo o que tu escreves é lindo!
Malú Luz