quarta-feira, 26 de março de 2008

S O M B R A


Uma lágrima escorre
Dos olhos da amada
Morna, sentida
Pára na boca.

A boca que cala
O amor que se foi
Afogada em pranto
Chora num canto
A amada.

A amada deixada
À sombra
Que emcobriu seu rosto
E apagou seu riso
Que molhou sua boca
E calou seu sonho..

RosanAzul.

Um comentário:

Poemas e encantos disse...

Seus poemas sao também muito tocantes. Para entrar em contato mallikafittipaldi@yahoo.com.br
bjus.